Obesidade nos EUA

Neste artigo, a Dra. Luciana Pechmann, médica endocrinologista e diretora administrativa do Centro de Diabetes Curitiba, aborda a incidência da obesidade nos Estados Unidos.

24 de outubro de 2013 | Autor: Centro de Diabetes Curitiba

 

Os Centros dos EUA para Controle de Doenças e o Centro Nacional de Prevenção for Health Statistics (NCHS) publicaram recentemente dados sobre a incidência de obesidade no país americano. De 2011 a 2012, o número de adultos obesos permaneceu constante em mais de 78 milhões.

Neste mesmo período, de acordo com as pesquisas, 34,9% dos adultos americanos eram obesos. O número equivale a mais de um terço da população e não teve um aumento significativo se comparado ao período entre 2009 e 2010.

Os casos de pessoas obesas foram identificados em maior número entre adultos de meia-idade, 39,5%. Seguidos pelas pessoas de mais idade, 35,4%, e pelos jovens, 30,3%. Entre homens e mulheres, não houve diferença – exceto em adultos negros, onde a obesidade foi maior nas mulheres, 56,6 %, contra os 37,1% nos homens.

O estudo mostrou também que, analisando a incidência de obesidade pela raça ou cor, os adultos negros apresentaram maior prevalência da doença, com 47,8%. Seguidos pelos hispânicos (42,5%), brancos (32,6%) e asiáticos (10,8%).

Entre os resultados do estudo americano, está a conclusão de que não houve nenhuma mudança significativa na prevalência de obesidade entre os adultos nos períodos de 2009 e 2010 e de 2011 e 2012.

Atualmente, verifica-se que, nos Estados Unidos, a incidência da obesidade é maior que a brasileira. Mas o número de casos de obesidade e sobrepeso no Brasil vem aumentando nos últimos anos. O crescimento destes casos é maior no Brasil do que nos Estados Unidos.

Dra. Luciana Pechmann – médica endocrinologista e diretora administrativa do Centro de Diabetes Curitiba, baseada na pesquisa publicada pelos Centros dos EUA para Controle de Doenças e Centro Nacional de Prevenção for Health Statistics (NCHS).

Gostou? Compartilhe com seus amigos.